Gritar com os filhos tem o mesmo efeito que bater neles, revela estudo

Os gritos e ofensas podem ser mais ruins ao cérebro da criança quando as palmadas

Bons Fluidos Publicado sexta 18 dezembro, 2020

Os gritos e ofensas podem ser mais ruins ao cérebro da criança quando as palmadas
Gritar com seus filhos pode ser tão ruim quanto bater neles - Pexels

Se você substituiu as palmadas por gritos severos com seus filhos como alternativa para corrigi-los, você pode estar fazendo tão mal a eles quanto se estivesse batendo. 

É comum que muitos pais desejem o melhor para seus filhos, no entanto, quando eles os decepcionam, os adultos sentem-se frustrados e acabam perdendo o controle das emoções aliviando sua raiva por meio de ofensas e gritos. 

+ VEJA TAMBÉM: 6 dicas para lidar com os momentos de ''birras'' das crianças

A ciência decidiu investigar os efeitos desta forma de correção e constatou que, assim como as palmadas, os gritos não são eficazes. Embora pareçam intimidadores, eles não garantem que os filhos respeitem mais seus pais e ainda podem provocar problemas no desenvolvimento dos filhos. 

Um estudo conjunto da Universidade de Michigan e a de Pittsburgh, publicado na revista Child Development, revelou que os gritos podem causar problemas sérios para a saúde mental das crianças a longo prazo. 

A pesquisa com quase mil famílias compostas por pai, mãe e filhos entre 13 e 14 anos constatou que quase a metade dos pais gritavam, em alguns casos, até insultavam seus filhos. Depois de acompanhar o desenvolvimento destas crianças, aquelas que eram insultados e ouviam gritos dos pais com frequência tinham mais problemas comportamentais quando chegaram à adolescência. 

+ VEJA TAMBÉM: Dia da Infância: conheça 8 livros perfeitos para ensinar valores às crianças

Um outro estudo também comparou as características de ressonância magnética no cérebro de pessoas que tiveram um histórico de abuso verbal por parte dos pais na infância e comparou-as com a de pessoas que não sofreram este tipo de abuso. Depois de avaliar as comparações, os cientistas notaram diferenças físicas no cérebro nas regiões responsáveis pelo processamento de sons e linguagem.

Ficou constatado que ouvir gritos e insultos dos pais na infância pode acarretar problemas de saúde mental como ansiedade, depressão, baixa auto-estima que atrapalharão a vida e os relacionamentos quando chegam a vida adulta. 

Último acesso: 27 Feb 2021 - 18:13:48 (1044034).