inspiracao   / Motivacional

Pesquisa comprova: Ioga ajuda a combater ansiedade e depressão em pessoas idosas

Na Paraíba, Mônica dos Santos Rodrigues mostra benefícios da prática para pessoas mais velhas

Redação Bons Fluidos Publicado sexta 20 março, 2020

Na Paraíba, Mônica dos Santos Rodrigues mostra benefícios da prática para pessoas mais velhas
Ioga combate ansiedade e depressão em idosos - Pixabay

Está comprovado!

Além de beneficiar o corpo fisicamente, a ioga tem a grande capacidade de combater a depressão e a ansiedade em pessoas idosas. Quem tirou essa conclusão, foi Mônica dos Santos Rodrigues, com uma pesquisa realizada na Universidade Federal da Paraíba.

O estudo foi feito com um grupo formado, majoritariamente, por mulheres moradoras de João Pessoa, selecionadas uma a uma de acordo com suas características de saúde, renda mensal e nível escolar. "Idosos considerados saudáveis foram aqueles que não apresentaram, por exemplo, traumatismo craniano, distúrbios de aprendizagem, abuso de álcool ou drogas, graves déficits de audição ou de fala, Parkinson, Alzheimer, esclerose múltipla e doenças cerebrovasculares", revelou ela.

Mônica disse que pode concluir que o hata-ioga (forma de ioga pré-clássico) teve grande impacto sobre funções cognitivas e fatores afetivos associados: "Quanto maior a frequência e o período dedicados à prática, mais expressivos serão os efeitos de maneira global. Pesquisas comparativas entre praticantes avançados e iniciantes fortalecem esse ponto", explicou ela.

A conclusão do estudo foi que, se considerar uma frequência de duas vezes por semana -- que é mais adequada à realidade
do padrão brasileiro, em 15 dias (que daria um total de cinco aulas), o idoso já sente uma baita diferença.

Por sinal, em três meses, Mônica observou que a capacidade de memorização de dados melhorou, e muito. "Demonstrou efeito significativo sobre a capacidade de manutenção das informações de modo temporário (memória de trabalho) e as queixas de falta de memória prospectiva e retrospectiva. Ocorreu uma diminuição na frequência de esquecimentos, por exemplo, sobre compromissos e acontecimentos da vida cotidiana", comentou.

Mônica dos Santos também disse que os idosos passaram a prestar mais atenção aos detalhes e experiências internas e externas e que aprimoraram a capacidade de perceber os sentimentos e não reagir a eles da mesma forma que faziam antes:"Atenção e memória são aspectos cognitivos que dão suporte às atividades cotidianas e afetam diretamente a qualidade
de vida da população. A prática de ioga representa uma possibilidade de intervenção acessível e segura para a prevenção
e promoção de saúde cognitiva da população crescente de idosos, atuando de forma efetiva na qualidade de vida deles"

"A prática regular e de longo prazo ensina maneiras diferentes de lidar com entradas sensoriais e reações emocionais que levam
a uma mudança na anatomia do cérebro [...] os exercícios de ioga vêm chamando cada vez mais atenção como um sistema
eficaz para a administração do estresse, redução de sintomas ansiosos e depressivos e a promoção de bem-estar e qualidade
de vida"
, finalizou.

Último acesso: 08 Aug 2020 - 06:03:03 (1042430).