inspiracao   / Superação

Padre Marcelo Rossi abre seu coração em novo livro e relembra incidente empurrão durante missa

A mais nova obra do Sacerdote, lançada em setembro deste ano, recebeu o nome de ''Batismo de Fogo''

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado quarta 14 outubro, 2020

A mais nova obra do Sacerdote, lançada em setembro deste ano, recebeu o nome de ''Batismo de Fogo''
Padre Marcelo Rossi abre seu coração em novo livro e relembra incidente empurrão durante missa - Reprodução / Facebook

No dia 14 de julho de 2019, o Padre Marcelo Rossi levou um dos maiores sustos de sua vida.

Durante uma missa celebrada para mais de 100 mil pessoas, em sua maioria jovens, na cidade de Cachoeira Paulista, localizada no interior de São Paulo, o Sacerdote foi empurrado do altar de dois metros e meio de altura por uma mulher que estava no evento em questão. O momento que foi registrado por um dos fiéis que estavam na plateia viralizou na internet, causando uma forte preocupação e comoção do público para com o religioso.

+ VEJA: Parece fácil, mas não é! Psicólogas nos ensinam sobre a importância de dizer ''sim''

Pouco mais de um ano depois do incidente, o Padre decidiu transformar o espanto em ensinamento, e mais do que isso, compartilhar sua experiência com o coletivo através de seu novo livro, "Batismo de Fogo".

Na obra lançada na primeira quinzena do mês de setembro, o religioso conta detalhes do empurrão, além de falar sobre pensamentos a respeito do período de isolamento social, incumbido em decorrência da pandemia do novo coronavírus, depressão e ansiedade.

O livro começa com Marcelo contando sobre o incidente em Cachoeira Paulista. "Quando eu fui empurrado, eu não perdi a consciência. Essa não foi uma experiência de morte, mas foi uma dor tremenda. Eu passei dias com espasmos. Mas havia uma força dentro de mim que me dizia 'Deus é maior'", declarou o famoso em matéria publicada pelo portal G1. A fundação Canção Nova, responsável por promover o evento, chegou a prestar um boletim de ocorrência contra a agressora. Porém, segundo a polícia, a mulher sofria de transtornos mentais.

+ VEJA: Amor-próprio não é egoísmo! Veja 6 atitudes para se amar cada vez mais e sempre

Sobre a chegada e disseminação da Covid-19, o Sacerdote também se manifestou. "Esse é um momento de reflexão para um resgate. Somos frágeis. É um novo nascimento para todos nós. A pandemia é o nosso batismo de fogo [...] A pandemia é um momento muito difícil e deixa mais evidente esse problema grave que é o suicídio. A falta de contato humano, o distanciamento vai agravar a depressão e levar pessoas a morte. Precisamos nos voltar para esse problema e ajudar as pessoas", finalizou.

Último acesso: 26 Oct 2020 - 16:07:01 (1043615).