Fernando de Noronha cria acervo formado por lixo retirado do mar em comemoração ao Dia Internacional da Limpeza das Praias

A iniciativa ecológica já abriga 90 quilos de itens descartados nas praias do arquipélago pernambucano

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado terça 22 setembro, 2020

A iniciativa ecológica já abriga 90 quilos de itens descartados nas praias do arquipélago pernambucano
Fernando de Noronha cria acervo formado por lixo retirado do mar em comemoração ao Dia Internacional da Limpeza das Praias - Reprodução - Foto: Érika Cavalcante

É no terceiro sábado do mês de setembro que comemoramos o Dia Internacional da Limpeza das Praias, iniciativa ecológica que nasce há 30 anos e impulsiona a retirada de lixo da costa em mais de 100 países.

Considerado um dos locais mais protegidos e preservados do nosso país, o arquipélago de Fernando de Noronha, situado do estado de pernambuco e localizado a cerca de 350 quilômetros ao largo da costa nordeste brasileira, não poderia ficar de fora e deixar de contribuir para a disseminação da limpeza das praias.

+ VEJA: Autoridades do Egito anunciam descoberta de 14 sarcófagos bem preservados de 2,5 mil anos; veja

Para isso, na última sexta-feira, 18, Noronha inaugurou uma ação criativa no Memorial Noronhense, na Vila dos Remédios, que consiste em uma exposição que abriga 90 quilos de itens considerados lixos, como tampas de garrafas, pedaços de vidros, calçados, borrachas, pilhas, bitucas de cigarro, além de embalagens, sacolas plásticas, e outros itens jogados indevidamente no mar ou praias.

Sandra Cadengue foi a bióloga responsável por coordenar o projeto de coleta, que ocorreu entre os meses de maio e agosto nas praias do Parque Nacional Marinho, além da Área de Proteção Ambiental (APA), no Mar de Dentro.

E acredite se quiser! Dentre os objetos catalogados, foram encontrados lixos de países da África e Ásia, levados até Noronha através das correntes marítimas.

+ VEJA: Mergulhadores trabalham para retirar espécie de coral invasor que ameaça o litoral sul de São Paulo; entenda

O acervo que conta com a curadoria da também bióloga Érika Cavalcante, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), terá sua coleção exposta permanentemente. Os materiais que estão a mostra foram catalogados de acordo com o tipo do lixo e a praia de origem. "A coleção mostra que ações locais impactam globalmente", contou a profissional ao portal Nossa, do UOL.

Sobre a importância do Dia Internacional da Limpeza das Praias, a Ocean Conservancy, ONG responsável pelo International Coastal Cleanup, alega que na edição de 2018 foram recolhidos em apenas um único dia 11 mil toneladas de lixo em praias de todo o mundo.

Último acesso: 24 Nov 2020 - 07:19:37 (1043475).