comportamento   / Fenômeno descoberto

Teoria confirmada! Cientistas confirmam, pela primeira vez, origem da aurora boreal

Mecanismo que causa o evento luminoso perto dos polos foi confirmado por cientistas

Bons Fluidos Publicado quinta 26 agosto, 2021

Mecanismo que causa o evento luminoso perto dos polos foi confirmado por cientistas
Cientistas confirmaram mecanismo por trás da aurora boreal - Unsplash/ Matt Hoyghton

As auroras boreais são um dos -- senão o mais -- belo fenômeno natural visível ao ser humano. No entanto, durante muito tempo, cientistas teorizavam a origem das luzes, mas nunca conseguiram demonstrar os mecanismos físicos por trás do fenômeno. 

Uma equipe de físicos da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos conseguiu, por meio de um estudo, comprovar a teoria em torno do mecanismo que causa as auroras boreais. Esta é a primeira vez que cientistas conseguiram demonstrar em laboratório o evento luminoso que ocorre nos polos do planeta. 

+++ Já ouviu falar na Lua azul sazonal? Conheça o fenômeno que ocorrerá neste próximo domingo, 22

A aurora boreal, vista no norte, ou austral, aquela que ocorre no sul do planeta, são luzes coloridas que iluminam o céu noturno perto dos polos. Este evento luminoso encantador acontece nas camadas mais elevadas da atmosfera há de 400 a 800 quilômetros de altura. 

Segundo a teoria recém confirmada, a origem da aurora começa na superfície do sol quando a atividade solar ejeta uma nuvem de gás. Quando uma ejeção de massa coronal colide com o campo magnético, ela causa mudanças complexas na região da cauda magnética.

+++ Fascinante! Aurora austral é vista por astronautas na ISS; assista ao vídeo

Essas mudanças geram correntes de partículas carregadas, que então fluem ao longo de linhas de força magnética para as regiões polares. Essas partículas são aumentadas em energia na atmosfera superior da Terra e, quando colidem com átomos de oxigênio e nitrogênio, produzem luzes deslumbrantes. 

Cientistas já especulavam esta teoria há muitos anos, no entanto, a ideia foi confirmada recentemente depois que os físicos da Universidade de Iowa conseguiram reproduzir o fenômeno em laboratório em menor magnitude. 

 

 

 

Último acesso: 26 Oct 2021 - 21:42:35 (1045626).