comportamento   / Mais velhas do mundo

Por que os japoneses vivem mais? Conheça as irmãs gêmeas mais velhas do mundo

As gêmeas idênticas Umeno Sumiyama e Koume Kodama nasceram em 1913 e atualmente vivem em casa de repouso separadas

Bons Fluidos Publicado quinta 23 setembro, 2021

As gêmeas idênticas Umeno Sumiyama e Koume Kodama nasceram em 1913 e atualmente vivem em casa de repouso separadas
As irmãs nasceram em 1913 e são as gêmeas mais velhas do mundo - Reprodução/ Guinness Book

Duas irmãs japonesas entraram para o livro dos recordes, o Guinness Book, esta semana ao serem eleitas as gêmeas mais velhas do mundo. 

Umeno Sumiyama e Koume Kodama foram consideradas as irmãs gêmeas idênticas mais velhas do mundo aos 107 anos e 300 dias nesta segunda-feira, 20. 

As irmãs japonesas nasceram em 5 de novembro de 1913 em Shodoshima, a 150 km de Osaka, no Japão em uma família de 9 irmãos. Além de viver a pandemia de 2020, as irmãs presenciaram as duas guerras mundiais. 

+++ Segredo da longevidade: por que os japoneses envelhecem bem e vivem tanto?

Durante a vida, as irmãs tomaram caminhos diferentes e mesmo vivendo separadas 300 km de distância, elas se encontravam em datas especiais. Elas chegaram a comemorar o aniversário de 99 anos juntas. 

Hoje as gêmeas vivem separadas em casas de repouso diferentes no Japão.

 

4 possíveis motivos que explicam a longevidade no Japão:

Alimentação: quase nada de carne vermelha, muito peixe e chá-verde

Acredita-se que as baixas taxas de mortalidade por doenças do coração e câncer tenham relação com a baixa prevalência da obesidade no Japão. O baixo consumo de carne vermelha, especificamente ácidos graxos saturados e alta ingestão de peixes, especificamente ácidos graxos poliinsaturados n-3, alimentos vegetais como soja e bebidas não adoçadas com açúcar, como chá-verde também influenciam na saúde dos japoneses. A diminuição do sal e dos alimentos muito salgados também parece ser responsável pela diminuição do câncer de estômago. A dieta japonesa típica, caracterizada por alimentos vegetais e peixes, bem como uma dieta ocidentalizada modesta, como carne, leite e laticínios, pode estar associada à longevidade no Japão.

Senso de higiene e saúde pública

Estudos médicos mais antigos propuseram outras razões para a longa vida de homens e mulheres japoneses. Artigos publicados na revista médica The Lancet creditaram o investimento do governo japonês na saúde pública nas décadas de 1950 e 1960 com a criação de uma cultura consciente da saúde e da higiene no país. Isso variou de programas de vacinação infantil e a introdução de seguro saúde universal, a campanhas para reduzir o consumo de sal e o uso de medicamentos para reduzir a pressão arterial.

+++ Expectativa de vida do brasileiro aumentou 31 anos desde 1940, segundo IBGE

Aposentados ativos

Outro fator pode ser o estilo de vida que a população idosa do Japão desfruta. Os aposentados no Japão permanecem ativos e muitos idosos continuam trabalhando por opção, e não por necessidade econômica. Estudos em áreas como a Prefeitura de Kagoshima e as Ilhas Amami, que são conhecidas por terem uma expectativa de vida ainda maior do que a média nacional, descobriram que viver com propósito também pode manter as pessoas vivas por mais tempo. Verificou-se que os idosos residentes nessas áreas estavam mais envolvidos com a comunidade local e passavam mais tempo com os familiares mais jovens.

Segurança Pública

O Japão tem relativamente menos crimes do que outros países e, em comparação com outras grandes cidades, é geralmente considerado bastante seguro. A taxa nacional de homicídios (número de homicídios por 100.000 pessoas) é 0,3, enquanto a taxa média em outros países da OCDE é de 4,1, e o Japão teve o terceiro menor número de homicídios entre as 38 nações.

 

 

Último acesso: 22 Oct 2021 - 10:58:05 (1045755).