comportamento   / Criatividade

Perda de tempo? Nada disso! Psicóloga dá dicas de como aproveitar quarentena para se reciclar profissionalmente

Use a quarentena em prol da sua vida profissional e renove-se!

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado quarta 25 março, 2020

Use a quarentena em prol da sua vida profissional e renove-se!
Psicóloga dá dicas de como aproveitar quarentena para se reciclar profissionalmente - PxHere

Com a chegada do coronavírus no Brasil, a recomendação é que todos nós fiquemos em casa. Infelizmente, os trabalhos estão sendo afetados e consequentemente a economia mundial. Mas nós não podemos 'deixar a peteca cair'!

A quarentena não deve ser um tempo perdido. Ao contrário, precisa ser visto como um tempo propício para aflorar nossa criatividade. A psicologa organizacional e clínica com foco em Terapia Cognitiva Comportamental, Lívia Marques, conversou com a revista Bons Fluidos e deu algumas dicas de como aproveitar quarentena para se reciclar profissionalmente

1. Como aproveitar esse tempo para se reciclar sua vida profissional?

Eu acho que é interessante pensar no momento em que você está vivendo, como têm vivido, qual é o seu processo psicológico, para que assim você possa utilizar esse tempo para se reciclar. Então, a primeira coisa que vou dizer é: o que você deseja fazer, ou então, o que você tem que está guardado ou que precisa fazer há muito tempo e não faz? E aí, perante tudo isso que eu disse, a gente começa a criar uma rotina para que façamos isso.

2. Como podemos despertar a criatividade?

Primeiramente, você deve se acolher e entender que momento é esse que você esta vivendo, porque nós estamos altamente preocupados, altamente focados 24 horas por dia em todas as notícias, em várias coisas que estão acontecendo e que realmente não são legais. Em muitos casos, a gente não tem tempo de pensar em possibilidades criativas. Então, despertar a criatividade exige autorreflexão, pensar naquilo que você precisa ou gostaria de realizar. Uma dica que é muito bacana é você pegar um caderninho e uma caneta, ou até mesmo um lápis, e escrever durante um momento do dia, dentro de sua rotina, por exemplo, 'coisas que eu gostaria de fazer e não faço'. E a partir desta escrita, nós começamos a trabalhar esse momento criativo 

3. Esse período pode ser aproveitado para quem está desmotivado com o trabalho e busca outras oportunidades?

Depende. Isso vai depender de cada indivíduo, porque existem pessoas que começam a passar por uma dificuldade muito grande, mas que rapidamente conseguem se reinventar, porém, existem outras pessoas que não conseguem. Elas focam naquele problema e começam realmente a desenvolver algum tipo de doença psicológica. É importante a gente ter essa percepção.

4. É possível aproveitar esse tempo para se reciclar profissionalmente? Como?

Óbvio! Sim! É muito possível. Criando uma boa rotina, entendendo, por exemplo, se você está com algum GAP (termo em inglês que significa um distanciamento, afastamento, separação, uma lacuna ou um vácuo), se você gostaria de estar aprendendo coisas novas, e a partir daí a gente começar a sequenciar essa rotina, a entender o que a gente precisa, e o caderninho que eu havia citado pode aqui ser um grande companheiro.

5. Como se organizar para que isso aconteça durante a quarentena?

Isso não está sendo fácil para ninguém, porque todos, e aí eu me incluo também, estamos sendo bombardeados, ficando preocupados e ansiosos. Algo que é muito interessante ser feito é você fazer uma programação do seu dia. Esse planejamento é de grande importância. Nós temos agendas, planners, o próprio caderninho, e temos aplicativos que auxiliam muito a gente a fazer essa organização durante a quarentena.E dentro desta organização, eu gostaria que todo mundo entendesse que é de extrema importância cada um ter um momento para si, e ter momentos de diversão, de alegria.


Lívia Marques, psicóloga organizacional e clínica com foco em Terapia Cognitiva Comportamental, é formada no Centro Universitário Celso Lisboa. A profissional possui experiências nas áreas hospitalar, escolar, organizacional e Clínica. MBA em Gestão de Pessoas pela Veiga de Almeida. Mais de 10 anos de experiência na área clínica com atendimentos focados em Terapia Cognitiva Comportamental. Atendimento de crianças, adultos e adolescentes. Atua como palestrante, consultora e professora em cursos na Empresa Psigente onde é Sócia Diretora.

Último acesso: 03 Apr 2020 - 04:31:20 (1042451).