comportamento   / Namoro à distância

O amor pode fortalecer o sistema imunológico! Terapeuta fala sobre importância de cuidar dos relacionamentos na quarentena

Marcia Schuindt, especializada em relacionamentos afetivos, deu algumas dicas de como namoros à distância podem dar certo neste período

Redação Bons Fluidos Publicado quarta 29 abril, 2020

Marcia Schuindt, especializada em relacionamentos afetivos, deu algumas dicas de como namoros à distância podem dar certo neste período
A pandemia pode trazer algum benefícios aos relacionamentos afetivos? - Freepik/ Stories

O isolamento social e o namoro à distância combinam? Essa é a pergunta que muita gente tem feito durante esse período da quarentena.

Com a impossibilidate de se verem, casais que não moram no mesmo teto têm enfretado um período difícil desde meados de março.

Será que é possível manter um namoro com tanta distância física? Como é possível manter o calor da paixão? Essa pandemia trouxe algum benefício para esses casais que não vivem no mesmo lar? Para entender um pouquinho sobre o tema, conversamos com Marcia Schuindt, terapeuta integrativa, especializada em relacionamentos afetivos.

USE E ABUSE DA INTERATIVIDADE PELAS REDES SOCIAIS

"Vivemos tempos desafiadores impostos pela pandemia da COVID-19. Tempo em que casais que não moram sob o mesmo teto, precisam se reinventar. Precisam estabelecer meios e formas para o calor da paixão ser reacendido dia após dia. Por esse motivo, o namoro virtual, a troca de mensagens, o telefonema, as músicas enviadas, todas as formas de contato digital são sempre muito bem-vindas. Sempre importantíssimos e válidos nesse momento, no qual precisamos ocupar o espaço, ou até mesmo o vazio, deixado pela impossibilidade do abraço, do beijo e das carícias", pontua a especialista.

O AMOR MANTÉM O SISTEMA IMUNOLÓGICO MAIS FORTE

"Como diz Lya Luft: 'A solidão é um campo demasiado vasto para ser atravessado a sós'. Então, não podemos viver essa solidão. Não podemos viver um abismo criado pela falta do contato físico, pela questão do isolamento. Sendo assim, tudo é válido para manter a chama de um relacionamento afetivo. A dor da saudade, a sensação de perda, minam a autoconfiança, a autoestima e a confiança na relação. Todas as formas de interação, mesmo que virtuais, aliviam paranoias, diminuem temores, diminuem receios e quando você se blinda nessa questões, você aumenta imunidade à vírus, bactérias e isso é cientificamente comprovado. Pessoas felizes, bem realizadas, que amam e se sentem amadas, têm seu sistema imune fortalecido. Naturalmente, no campo da ciência, sabemos que endorfinas, como a serotonina, responsáveis pelo prazer e pela alegria, são liberadas a nível neuroquímico e precisamos muito dessas substâncias, principalmente nos dias atuais".

OBSERVE A QUALIDADE DO SEU RELACIONAMENTO

"No campo das percepções atuais, nunca valorizamos tanto o tom de voz, a presença de alguma maneira, um bom dia, um boa noite e percebemos que quando isso não acontece, quando isso não vem, gera a dor da privação e essa crise, essa abstinência nos faz refletir também, e mensurar, o que estamos realizando, de fato, à nível afeitvo. Qual é a qualidade da nossa vida afetiva, como estão nossas trocas de carinho no campo amoroso. Relacionamentos precisam ser cultivados, assim como quando cuidamos de plantas ou animais e precisamos alimentá-los".

Para finalizar, Marcia Schuindt apontou que o isolamento social não deve ser um impecílio para os casais que se amam verdadeiramente. "Amor e distância parecem não combinar, porque quando você ama, quer estar junto e pensa em soluções criativas para manter a proximidade, a chama do amor e da paixão, e, nesse sentido, percebemos que até o romantismo aumenta. A falta do contato físico faz com que nos tornemos muito mais sucetíveis ao outro, dentro do plano amoroso. Deixamos de perguntar 'por que isso aconteceu?', ou 'por que isso está me impossibilitando de algo?', e passamos a pensar: 'Como posso usufruir ao máximo esse tempo e manter o meu relacionamento vivo, desperto e profundamente sintonizado?'. Para isso, precisam haver afinidades, objetivos em comum, precisa haver um interesse real nas coisas do outro... Para aqueles que se amam verdadeiramente, distância não é um problema, tempo não é um problema. O amor deve ser imperturbável, então é fato que relacionamentos superficiais e passageiros, desabam em tempos de pandemia". 

"Este é um momento único para se viver a verdade. Aproveitem este momento para olhar para o relacionamento afetivo", termina.

Último acesso: 12 Jul 2020 - 09:51:27 (1042638).