comportamento   / Tecnologia e saúde mental

''Novidade no Whatsapp põe em risco a saúde mental'', alerta psicóloga

Pra esclarecer o motivo, a psicóloga Fabiane de Faria, especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, comentou a seguir

Bons Fluidos Publicado quinta 17 junho, 2021

Pra esclarecer o motivo, a psicóloga Fabiane de Faria, especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, comentou a seguir
A psicóloga Fabiane de Faria, especialista em Terapia Cognitivo Comportamental, comentou a nova função do WhatsApp - Pexels

Verdade seja dita, todo mundo já sentiu preguiça de ouvir aquele áudio de três minutos no Whatsapp. O aplicativo, por sua vez, parece que ouviu nossos pensamentos e liberou uma ferramenta que permite acelerar as mensagens de voz.

O que parecia facilitar a vida de muitas pessoas, pode ter virado um pesadelo. Como aconteceu com a empresária Erika Vallis.

“No começo, achava um máximo ouvir em alta velocidade e acreditava que facilitaria, e muito, a minha vida. Mas percebi que comecei a ficar ansiosa, com batimentos acelerados por causa dos áudios rápidos”, comenta Erika.

+ VEJA TAMBÉM: Resiliência é se adaptar, superar desafios e ''fazer do limão uma limonada''

Para a psicóloga Fabiane de Faria, ele nos apressa e deixa o foco distante do presente.

“Apesar de ser criado para ajudar as pessoas a não demandarem tanto tempo em áudios subjetivos, o efeito foi dar forma ao movimento de aceleração que tanto nos prejudica. Afinal, todos nós conhecemos alguém que está correndo contra o tempo, e isso gera ansiedade e falta de foco”, explica a psicóloga especialista em Terapia Cognitivo Comportamental e idealizadora da plataforma aterapia.

Afinal, qual impacto essa pressa constante causa na vida das pessoas?

Essa e as principais dúvidas sobre o tema, Fabiane esclarece a seguir. Confira:

Nem todo mundo tem paciência para ouvir áudios longos no Whatsapp e talvez, por isso, a nova ferramenta que possibilita reproduzir os áudios de forma mais rápida é celebrada por muitos. No entanto, isso pode deixar as pessoas mais aceleradas, estressadas e ansiosas? Por quê?

Isso foi criado para ajudar as pessoas a não “perderem tanto tempo“ escutando áudios que poderiam ser mais objetivos. No entanto, acaba dando forma para o movimento de aceleração que tanto nos prejudica. São padrões de estar sempre à frente, sempre correndo e nunca no presente.

+ VEJA TAMBÉM: Seu filho está viciado na internet? Especialista dá 8 dicas para ajudar a criança a desmamar do digital e viver o mundo fora das telas

Todos nós conhecemos alguém que está correndo contra o tempo, com a sensação de estar sempre atrasado. Podemos falar que ser apressado virou um padrão?

Tem muitas pessoas lutando contra isso. É uma necessidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo, mostrar excesso de produção, um movimento que não tem prejuízos no início, mas que com a manutenção desse comportamento vários sintomas nocivos são observados.

A pressa, quando é constante, causa impacto no comportamento das pessoas? Quais características elas podem apresentar?

Sim. O principal sintoma é o aumento da ansiedade. Pessoas também podem apresentar falta de foco. Na verdade, ele nos acelera e deixamos de estar no presente.

Que tipo de atenção estamos dando ao outro quando aceleramos um áudio?

Acho que não é um julgamento que cabe em todas as situações. No entanto, muitas vezes as pessoas querem mais falar e solicitar do que estão disponíveis para ouvir o outro.

Qual conselho você daria para quem está se acostumando em só ouvir áudios de forma acelerada?

Parar um pouco. Tentar focar no presente. Fazer uma atividade de cada vez e escutar esses áudios quando realmente estiver disponível e não fazendo muitas coisas ao mesmo tempo.

Mesmo que sejam muito longos, ouvir áudios na velocidade normal ainda é a melhor opção? Por quê?

Acredito que a melhor maneira é ouvir o áudio quando você estiver disponível para escutá-lo e respondê-lo, e não fazendo várias coisas ao mesmo tempo.

Último acesso: 25 Sep 2021 - 13:16:21 (1045169).