Entenda como e porquê mais de 380 pinguins foram resgatados no litoral de São Paulo

Em pouco mais de 15 dias, o Instituto Gremar resgatou 382 pinguins; dentre eles, 114 estavam com vida

Redação Bons Fluidos Publicado quarta 8 julho, 2020

Em pouco mais de 15 dias, o Instituto Gremar resgatou 382 pinguins; dentre eles, 114 estavam com vida
Instituto Gremar resgata mais de 380 pinguins no litoral de SP - Instagram/ Instituto Gremar

O Instituto Gremar resgatou mais de 382 pinguins-de-magalhães (Spheniscus magellanicus) nas praias de Santos, São Vicente, Guarujá e Bertioga, no litoral de São Paulo, entre os dias 20 de junho e 6 de julho.

De acordo com o comunicado divulgado pela Gremar na última terça-feira, 7, de todos pinguins, 114 foram resgatados com vida (56 deles em Bertioga, 41 no Guarujá, 13 em Santos e quatro em São Vicente). Apesar de vivos, a maioria deles ainda estava abaixo do peso e em estado grave, com sinais profundos de exaustão. Outros, apresentaram ferimentos leves ou até mesmo resquícios de lixo descartado de forma inapropriada por humanos no trato gastrointestinal.

Os outros, infelizmente, já estavam mortos quando foram encontrados ou vieram a óbito antes de chegarem ao Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos, em Guarujá: 120 em Bertioga, 126 em Guarujá, quatro em Santos e 18 em São Vicente.

Como o encalhe de pinguins-de-magalhães tem ocorrido em diversos pontos do litoral brasileiro nas últimas semanas, a equipe do Gremar afirmou que continuará trabalhando para salvar o maior número de vidas possível.

Aliás, há uma orietação específica para quem encontrar com alguns desses animaizinhos nas praias.

Nestes casos, o Instituto Gremar recomenda à população que não toque nem devolva os animais ao mar. Também deve-se evitar aglomerações e fazer contato o mais rápido possível com a instituição ambiental mais próxima.

O Instituto Gremar pode ser acionado para resgates de animais marinhos, vivos, debilitados ou mortos pelos telefones 0800-6423341 e (13) 99711-4120.
 

MIGRAÇÃO DO INVERNO

Nas redes sociais do Instituto Gremar, especialistas contaram o motivo do número tão alto de pinguins e ressaltaram os impactos que a atividade humana tem sobre ele.

"O inverno no Hemisfério Sul marca o período de migração dos pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) rumo à costa brasileira, em busca de alimento. O trajeto parte das colônias que habitam na Argentina, Chile e Ilhas Malvinas e é um grande desafio. Dificuldades como a falta de alimento, as alterações climáticas e os impactos da atividade humana são uma constante na rota desses animais. Às vezes debilitados e sob a influência das correntes marinhas, alguns se distanciam do grupo e encalham nas praias do nosso litoral, gerando ocorrências pelo Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS)", esclareceram.

 

Mais de 380 pinguins são resgatados no litoral de SP
Divulgação/Instituto Gremar

 

Último acesso: 09 Aug 2020 - 08:16:15 (1043026).