comportamento   / DESALOJADOS: UM RETRATO SOCIAL

'Desalojados': livro relata realidade dos moradores de favelas de São Paulo e limitações que sofrem pela invisibilidade

Comemorando 20 anos de sua fundação, o Instituto Acaia lança livro, 'Desalojados', que relata o trajeto percorrido no trabalho educativo com crianças das favelas da Vila Leopoldina

BONS FLUIDOS Publicado segunda 22 novembro, 2021

Comemorando 20 anos de sua fundação, o Instituto Acaia lança livro, 'Desalojados', que relata o trajeto percorrido no trabalho educativo com crianças das favelas da Vila Leopoldina
'Desalojados': livro relata realidade dos moradores de favelas de São Paulo e limitações que sofrem pela invisibilidade - FREEPIK

O desejo da artista Elisa Bracher de trabalhar e conviver com meninos e meninas moradores das favelas próximas de seu ateliê, na Vila Leopodina, foi a pedra fundamental para a construção, nos vinte anos seguintes, da metodologia praticada hoje pelo ateliescola, que oferece Educação Infantil e Ensino Fundamental gratuitos a 200 crianças moradoras de favelas do bairro, além de bolsas parciais àqueles em melhor situação financeira. No primeiro livro da série Cadernos Acaia, Desalojados, a artista relata a lenta construção desse modelo, que agrega ensino formal, prática de ateliê, escuta psicanalítica adaptada a situações do dia a dia, atenção à saúde dos alunos e apoio jurídico às famílias, entre outras formas de interação permanente com as comunidades atendidas.

Escrito como um relato fluido e pessoal, Desalojados é uma história de transformação possível, tanto da própria autora como das diversas pessoas que se juntaram ao projeto e foram adicionando e ele ferramentas e formas de abordagem. Entremeados à narrativa principal, relatos escritos pela ex-diretora Olga Maria Aralhe e casos emblemáticos envolvendo alunos e frequentadores, ilustrados por fotos que contam a história do Acaia e por obras de Elisa e de alunos dos ateliês de xilogravura, completam o painel dessa experiência educativa, feita de entrega e acolhimento.

DESALOJADOS: UM RETRATO SOCIAL

O ambiente social da favela é altamente desorganizado, sobretudo para crianças pequenas. Elas vivem em barracos sem ventilação, separados por uma viela estreita e cheia do esgoto das casas. Com o barulho das festas – os pancadões – e dividindo a cama com adultos e outras crianças, não dormem direito. Nós nos perguntávamos como uma criança criada em um ambiente assim pode se concentrar e ficar quieta em uma sala de leitura. (Elisa Bracher, Desalojados)

Desalojados mostra o enfrentamento cotidiano das marcas de abandono, exclusão social, racismo, violência policial e moradia precária plasmadas nas vivências e nos corpos das muitas crianças e adolescentes que passaram pelo Acaia nessas duas décadas. Num contexto de intensa favelização do país, que só fez acelerar na última década, o livro compartilha o conhecimento acumulado no trabalho sobre a realidade dos moradores de favelas da maior cidade brasileira, além de estratégias para enfrentar, com eles, as limitações impostas pela invisibilidade.

As crianças que acolhemos vivem o fracasso e a violência em tudo. Quando elas têm à disposição um lugar aonde podem escolher ir, repleto de ferramentas, tintas, madeira e outros materiais, e podem inventar o que fazer, com ajuda de um profissional afetuoso e cuidadoso – cuja primeira função é acolher –, passam a viver uma experiência de prazer, sucesso e continuidade.

(Elisa Bracher, Desalojados)

Celebrando os vinte anos de atividade do Instituto Acaia, o lançamento de Desalojados põe em movimento a série Cadernos Acaia, que apresentará os fundamentos de um modelo socioeducativo único, e de escala limitada, com o objetivo declarado de inspirar e oferecer parâmetros a outras iniciativas do gênero. O lançamento acontece em 27 de novembro, às 11h, na sede do Instituto Çarê, na Vila Leopoldina, São Paulo.


SERVIÇO:

Título: Cadernos Acaia – Desalojados | Autora: Elisa Bracher | Textos adicionais: Olga Maria Aralhe | Editora: Letra da Cidade | Projeto gráfico e design: Luciana Facchini | Ilustrações: Elisa Bracher | Coordenação editorial e edição: Teté Martinho | Revisão: Regina Stocklen | Produção gráfica: Marcia Signorini | Páginas: 128 | Valor de capa: R$ 65,00 | Editora WMF Martins Fontes, 2021.

Lançamento: 27 de novembro, às 11h

Local: Instituto Çarê

End.: Rua Doutor Avelino Chaves, 138 - Vila Leopoldina, São Paulo/SP

Último acesso: 29 Nov 2021 - 03:19:29 (1046128).