bem-estar   / Coronavírus

Laboratório americano afirma ter fabricado remédios 100% eficazes contra a COVID-19: ''Queremos enfatizar que existe uma cura''

A empresa biofarmacêutica anunciou a novidade nesta sexta-feira, 15

Redação Bons Fluidos Publicado sexta 15 maio, 2020

A empresa biofarmacêutica anunciou a novidade nesta sexta-feira, 15
Laboratório americano afirma ter remédio 100% eficaz contra o coronavírus - Pixabay

Uma empresa biofarmacêutica localizada na Califórnia, Estados Unidos, a Sorrento Therapeutics, anunciou nesta sexta-feira, 15, que encontrou um anticorpo capaz de proteger o corpo humano do novo coronavírus e liberá-lo do organismo em até quatro dias.

Conhecido como STI-1499, o anticorpo pode fornecer “100% de inibição” à Covid-19 e o tratamento feito com base nele seria uma alternativa eficiente e rápida, já que a vacina deve demorar alguns meses ainda para ser disponibilizada no mercado. 

Apesar da descoberta, o remédio ainda está em fase de desenvolvimento pelo laboratório e ele deverá atuar no corpo como um escudo contra o vírus, além de também curar pacientes já infectados.

“Queremos enfatizar que existe uma cura. Existe uma solução que funciona 100%”, disse Dr. Henry Ji, fundador e CEO da Sorrento Therapeutics, em uma entrevista à Fox News, que logo completou: “Se conseguirmos colocar esse anticorpo neutralizante no corpo humano, não será mais necessário o distanciamento social e a sociedade poderá abrir sem medo”.

“Nosso anticorpo STI-1499 mostra um potencial terapêutico excepcional e pode salvar vidas após ser aprovado pela agências reguladoras. Nós estamos trabalhando dia e noite para que esse produto seja aprovado e disponibilizado ao público”, afirmou também em um comunicado aos investidores da empresa.

De acordo com o laboratório, a fábrica que fica localizada em San Diego tem capacidade para produzir o medicamento em larga escala. Seriam 200 mil doses por mês. Porém, antes mesmo do remédio ser aprovado, eles pretendem produzir 1 milhão de doses.

Os testes em laboratório com o vírus in vitro já foram conduzidos e o próximo passo da Sorrento é pedir aos agentes reguladores da saúde nos EUA prioridade na liberação do medicamento, para que ele esteja, o mais rápido possível, nas mãos da população.

Último acesso: 03 Jun 2020 - 07:26:09 (1042738).