bem-estar   / Corpo e mente

Imunidade baixa? Fisioterapeuta fala sobre Saúde Integrativa e dá dicas de como manter o organismo equilibrado durante quarentena

Profissional explica como a pandemia pode ser um alerta para que tenhamos autorresponsabilidade e possamos cuidar mais da nossa própria saúde

REDAÇÃO BONS FLUIDOS Publicado segunda 23 março, 2020

Profissional explica como a pandemia pode ser um alerta para que tenhamos autorresponsabilidade e possamos cuidar mais da nossa própria saúde
Fisioterapeuta fala sobre Saúde Integrativa e dá dicas de como manter o organismo equilibrado durante quarentena - PxHere

"Um organismo equilibrado, um sistema nervoso em dia e uma rotina saudável podem operar maravilhas na atual conjuntura do planeta”, diz o fisioterapeuta especialista em Saúde Integrativa Sérgio Bastos Jr, da Biointegral Saúde. “Sabemos que o novo coronavírus está sendo uma ameaça mundial. Claro que as pessoas que porventura se infectarem e tiverem algum tipo de complicação precisarão ser muito bem tratadas, claro que não é preciso sair por aí sem práticas mínimas de higiene, fingindo que não há um novo vírus no ar. Mas, por outro lado, incitar o medo de uma pandemia com milhões de mortes é, da mesma forma contraproducente”, acrescenta o especialista.

O que podemos fazer para lidar com algo desconhecido que ataca nossa saúde? Para Sérgio, exercitar maneiras de manter nossa imunidade em dia: “Nesse caso, a Saúde Integrativa, certamente, é a melhor opção. Com ela, temos um panorama integral da nossa vida: do sono à alimentação, do estresse à prática de exercícios, e podemos utilizar ferramentas, como a Microfisioterapia e o PSYCH-K para impedir que nossos traumas e crenças limitantes acionem o cérebro de uma maneira depreciativa, incitando ao medo do desconhecido e liberando toxinas que vão diminuir nossa capacidade de lidar com vírus. Qualquer que seja ele”.

O fisioterapeuta lembra que quando direcionamos nossas energias para cuidar de tudo e todos, mas esquecemos de atender a nós mesmos, nosso sistema imunológico cai exatamente para que um resfriado ou uma gripe nos forcem a fazer o que deveríamos exercitar todos os dias: parar um pouco para que possamos nos dedicar ao nosso corpo.

Sérgio explica que o conjunto de fatores que advém do estilo de vida pós-moderno, entre eles a má alimentação, o sono agitado, o trabalho excessivo, a tirania do perfeccionismo, o consumo exagerado, a falta de empatia social, entre muitos outros, nos permitem adoecer. “Esquecemos que somos, antes de tudo, humanos. Que precisamos estar bem para cuidar dos outros, e que precisamos de ajuda para isso, muitas vezes”, revela o fisioterapeuta.

E é aí que adoecemos, exatamente para que possamos parar, prestar atenção no que está errado, e reorganizar nossas vidas e rotinas. “Então, o que podemos dizer em tempos de Coronavírus é: mantendo o autocuidado e a imunidade alta, manteremos o vírus longe. Claro, não esqueçam das práticas básicas de higiene. Mas sem pânico! Na China, onde ele começou, os casos já começaram a diminuir. É a curva normal de qualquer propagação viral”, lembra Sérgio.

Ele enfatiza: “O alarde criado, que deveria apenas informar, acaba sendo usado como desculpa para que o medo, esse monstrinho que vive dentro da gente e que destrói nossos recursos emocionais e, consequentemente, nossa saúde física, se alimente e passe a ter o comando da situação”.

O profissional dá algumas dicas para enfrentar esse período de epidemia:

  • Alimentar-se bem

  • Dormir pelo menos 8 horas por noite

  • Dormir mais cedo e aproveitar as manhãs, quando o ar normalmente está mais leve

  • Não fazer mais do que sua capacidade física e mental possibilita

  • Praticar exercícios regularmente

  • Manter alguma prática espiritual

  • Manter a boa convivência com as pessoas que o rodeiam

  • Manter limites saudáveis nas suas relações

  • Detectar se há traumas ou emoções reprimidas que precisem ser tratados

  • Entender se há crenças familiares ou sociais limitando sua vida

Último acesso: 21 Sep 2020 - 03:26:47 (1042437).