Déjà-vu: saiba os mistérios por trás deste fenômeno e como a ciência explica esta sensação bizarra

Ainda não há um consenso sobre o que são os Déjà-vu, no entanto, estudos científicos tentaram explicá-lo

Bons Fluidos Publicado segunda 8 junho, 2020

Ainda não há um consenso sobre o que são os Déjà-vu, no entanto, estudos científicos tentaram explicá-lo
Veja o que diz a ciência sobre o Déjà-vu - Freepik

Você provavelmente já deve ter tido a sensação de já ter visto ou vivenciado uma situação determinada e parece que tudo está se repetindo. A sensação te dá até calafrios, mas logo passa e você fica o dia todo intrigado com o que vivenciou porque você tem certeza que nunca esteve ali.

Esse fenômeno é nominado pela psicologia de Déjà-vu, uma expressão da língua francesa que significa "Já visto" em português, e se descreve como uma sensação psicológica de já ter presenciado exatamente o mesmo momento mais de uma vez. 

Para os religiosos e exotéricos, essa sensação pode significar lembranças de uma vida passada, ou seja, para as pessoas espirituais, os déjà-vu acontecem porque somos espíritos reencarnados e por isso vivenciamos aquele momento em uma outra vida. 

Segundo algumas doutrinas religiosas, quando reencarnamos num novo corpo, apagamos do subconsciente as lembranças na vida anterior, no entanto, algumas sensações podem parecer familiares porque elas vêm a tona quando são ativadas por gatilhos como cheiros, sons e imagens. 

Já para os estudiosos, essa sensação bizarra ainda envolve muitos mistérios e não há um consenso dentro da comunidade científica, no entanto, um estudo publicado em 2016 pela revista científica The Quartely Journal of Experimental Psychology, tentou reproduzir um Déjà-vu em laboratório.

SAIBA MAIS: Mistérios da madrugada: ''Por que eu acordo sempre às 3h da manhã?''; saiba quais hipóteses explicam este fenômeno

Depois de analisar reações cerebrais em 21 voluntários que sofrem Déjà-vu com frequência, o autor da pesquisa, Akira O'Connor, entendeu que o fenômeno não acontece no lobo temporal, onde pensava que o fenômeno acontecia, mas sim no lobo frontal, onde geralmente está associado o processo de tomada de decisões. 

O pesquisador concluiu que o acontecimento é uma reação do cérebro tentando realizar uma "automanutenção" para checar as memórias que foram criadas, isso significa, que a nossa mente traz a tona lembranças parecidas com as que você está vivenciando e isso te leva a pensar que já vivenciou aquela situação. 
 

Último acesso: 29 Nov 2021 - 19:11:29 (1042849).